A Doutrina Espírita sempre ressalta a dádiva da vida e como somos abençoados pela encarnação visando nosso aprimoramento espiritual. Por esta razão, decidimos abraçar a Campanha Setembro Amarelo, e neste mês, algumas de nossas Doutrinárias terão como tema a VALORIZAÇÃO DA VIDA!!!
E para demonstrar a importância da nossa vida, Bezerra de Menezes, por meio da psicografia de Divaldo Pereira Franco nos presenteia com essa linda mensagem:

ESTEJAMOS UNIDOS NA DEFESA DA VIDA

Meus filhos!
Que Jesus nos abençoe!
A vida, sob qualquer aspecto considerada, é dádiva de Deus que ninguém pode perturbar. Todos os seres sencientes desenvolvem um programa na escala da evolução demandando a plenitude, a perfeição que lhes é a meta final.
Preservar a vida, em todas as suas expressões, é dever inalienável que assume a consciência humana no próprio desenvolvimento da sua evolução.
Quando alguém levanta a clava para interromper propositalmente o ciclo da vida, faz-se um novo Caim, jogando sobre si mesmo a condenação da consciência de culpa e experimentando, no remorso, hoje ou mais tarde, a necessidade de depurar-se, reabilitando-se, ao nadar nos rios das lágrimas.
Por isso, os espíritas cristãos, compreendendo o alto significado da vida, levantam-se para defendê-la onde quer que se apresente e, em especial, a vida humana – estágio avançado do processo de iluminação do Ser, na busca da sua consciência plena e cósmica.
Inspirados pelo Mundo Espiritual Superior, os obreiros do Cristo se erguem hoje para proclamar, não só o direito à vida dos que estão em germe e têm o direito de nascer, como dos que se despedem do corpo e têm o direito a permanecer, até o último hausto, no organismo em processo prévio de degeneração, como também do delinquente revel, que se pode arrepender e tornar-se instrumento útil à comunidade que agrediu, ou do atormentado mental, espiritual e moral que, sem resistência para enfrentar a luta, opta pela falsa solução do autocídio, mergulhando no insondável abismo de sombras e de dor.
Não apenas defender esse direito à vida, como também respeitar todas as vidas, como se apresentem, onde quer que estejam, é tarefa primordial do Espiritismo, que pode ser considerado uma usina de poderosa força e, se por acaso, não realizada a operação transformadora dos seus membros, influindo no comportamento da sociedade, converte-se em uma potência, deixada à margem, que perdeu a finalidade de produzir energias pra a utilidade a que se destina.
Por isso,o Espiritismo tem como objetivo primeiro a transformação moral do homem, e se esta não se dá, a mensagem pode ser comparada a uma lâmpada abençoada que, lamentavelmente, se encontra com a luz interrompida.
Dessa transformação moral, intransferível, individual, saem os outros objetivos que vão atender às necessidades coletivas, mudando as paisagens terrestres e convidando a criatura à construção real do mundo pleno que em breve defrontaremos.
E onde estarão as energias necessárias para esse cometimento, senão no lar, nessa sociedade miniaturizada onde se caldeiam sentimentos, onde se lapidam arestas e, muitas vezes, como buril, se retiram a jaça, as anfractuosidades, limando-se a aspereza para que o brilho da luz interior possa alcançar a superfície e expandir-se?!
A família é a base da sociedade, que não pode ficar relegada a plano secundário. Viver em família com elevação e dignidade, é valorização da Vida, na oportunidade que Deus concede ao Espírito para crescer e atingir as culminâncias a que está destinado.
É verdade que muitos obstáculos se levantam, gerando dificuldade para ambos os cometimentos.
Quem, por acaso, atravessará as águas de um rio duas vezes nas mesmas águas?
Enfrentar tais obstáculos é a decisão do cristão renovado, que encontrou em Jesus a força poderosa, que Ele usou quando quis implantar o Seu reino de amor e de justiça na Sua época, guardadas as proporções, semelhantes a esta época.
Se os companheiros se revestirem de valor moral para combaterem o erro, pela sua atitude de coerência espírita-cristã, pela sua conduta eminentemente evangélica, lentamente, os espaços perdidos serão recuperados e será erguido na Terra o Reino de Trabalho, de Fraternidade e de Amor.
Meus filhos, há muitas sombras, porque o bem apresenta-se com timidez, cedendo espaço ao mal, que alarga os seus domínios pelo atrevimento de que se reveste.
Por isso mesmo, espírita seja a nossa definição.
Se necessário for perder as pobres moedas de César, para preservar a inteireza do conteúdo da Mensagem, confiemos em Deus, o Supremo Doador, que nunca nos deixou órfãos e jamais nos deixará ao abandono.
O Espiritismo liberta-nos da ignorância e propicia-nos, pelas lições luminíferas da caridade, a ação social, na assistência e no serviço de socorro. Negar a procedência da inspiração, para conivir com os métodos arbitrários e injustos da política terrestre, é o mesmo que ceder ante as paixões de César, como árbitro dos destinos, embora sem controle sobre as vidas, significaria abjurar o nome de Jesus - que é a bandeira das nossas obras sociais -, para estar de braços dados com o poder temporal, recebendo-lhe o auxílio e apoiando-lhe as arbitrariedades.
Jesus disse que no mundo somente teríamos aflições.
Não será lícito, portanto, esperarmos outra resposta, senão a da dificuldade.
Graças à Lei Soberana, que é a Lei Natural, a Lei de Amor, lutemos junto às autoridades competentes para falarmos do nosso apostolado e pedirmos respeito às ações renovadoras da sociedade que vimos desenvolvendo em nome da caridade.
Não temamos nunca! Estejamos unidos na defesa da Vida em uma família espiritual digna, suportando reveses e incompreensões. Ser espírita hoje é o mesmo que ter sido cristão ontem.
Quantas vezes veremos as nossa melhores palavras adulteradas e voltadas contra nós?
Em outras oportunidades enfrentaremos os desafios da urdidura da calúnia, da malversação de valores e das acusações indébitas; em novos ensejos defrontaremos problemas íntimos, no santuário doméstico, ralando-nos o coração e, mais adiante, sofreremos a insidiosa interferência dos que se comprazem na preservação deste estado de coisas, atormentados na erraticidade inferior, ferindo as fibras mais íntimas do nosso sentimento.
Não terá sido por outra razão que o Mestre nos recomendou o Amor - o Amor sempre – e a Oração, meus filhos!
A Oração é o elixir de longa vida que nos proporciona os recursos para preservar os valores de edificação, perseverando no trabalho iluminativo. E o Amor indiscriminado, a todos, mesmo aos inimigos – o que não quer dizer anuência com os seus despropósitos -, é impositivo de emergência para lograrmos a Paz.
Como é verdade que os Seus discípulos nos faremos conhecidos por muito amar, não menos verdade é que este amor – que se inicia em nós -, deve expandir-se até eles, todos eles, os que nos criam embaraços e dificuldades, que nos ameaçam e nos provocam lágrimas,em ambos os planos da vida.
No mais é confiar em Jesus.
Quando aceitamos o ministério do Cristianismo Restaurado, assinamos o propósito de servir com abnegação até o fim.
Temos logrado êxito, vencemos os primeiros embates, superamos as dificuldades maiores antes da decisão. Necessitamos, agora, valorizar a nossa vida - vós, no carro da matéria, e nós outros na experiência libertada do corpo -, para chegarmos à meta final,cantando um hino ao Vencedor que, aparentemente vencido, foi plantado na cruz, e cuja aparente derrota estava simbolizada na vitória de encontrar-se como Hífen de Luz entre os homens pronpínquos e Deus, no Calvário, onde se uniram todas as forças do mal para o sacrifício do Cordeiro.
Meus filhos, estes são os dias chegados. Tende ânimo, preservai a coragem, sede fiéis, valorizando a vida e vivendo em família com elevação, para implantardes na Terra a família ideal, cujos membros, vinculados ao Reino de Deus, sejam realmente irmãos.
Que o Senhor nos abençoe!
São essas as palavras dos trabalhadores do Mais Além que por nosso intermédio fazem-nas chegar às vossas mentes e aos vossos corações.
Com o carinho paternal de sempre, o servidor humílimo.

Bezerra.
Mensagem psicofônica recebida pelo médium Divaldo Pereira Franco, no encerramento da Reunião do Conselho Federativo Nacional, em 07.11.1993, em Brasília, DF. Em 28.08.2009.
Mensagem disponível em: http://www.divaldofranco.com.br/mensagens.php?not=122

Mais informações sobre o Movimento Setembro Amarelo você encontra no site: http://www.setembroamarelo.org.br/.

04 de setembro 2017

Será no dia 26/08/2017 das 16:00hs às 18:00hs na Arena Condá
A entrada é franca, mas é preciso fazer uma inscrição no site da FEC através do link:
https://webfec.org.br/urenote/Home/Inscricao/144

Esse evento fará parte do calendário oficial do aniversário de 100 anos de Chapecó, celebrado no dia 25 de agosto.
A conferência de Divaldo na cidade do Oeste Catarinense reveste-se de grande importância, visto que será realizada em um local recentemente afetado por uma tragédia coletiva de proporções internacionais.

12 de junho 2017

Quando Jesus, à frente da multidão faminta. Indagou das possibilidades dos discípulos para atendê-la, decerto procurava uma base, a fim de materializar o socorro preciso.
"Quantos pães tendes?"
A pergunta denuncia a necessidade de algum concurso para o serviço da multiplicação.
Conta-nos o evangelista Marcos que os companheiros apresentaram-lhe sete pãezinhos, dos quais se alimentaram mais de quatro mil pessoas, sobrando apreciável quantidade.
Teria o Mestre conseguido tanto se não pudesse contar com recurso algum?
A imagem compele-nos a meditar quanto ao impositivo de nossa cooperação, para que o Celeste Benfeitor nos felicite com os seus dons de vida abundante.
Poderá o Cristo edificar o santuário da felicidade em nós e para nós, se não puder contar com os alicerces da boa-vontade em nosso coração?
A usina mais poderosa não prescinde da tomada humilde para iluminar um aposento.
Muitos esperam o milagre da manifestação do Senhor, a fim de que se lhes sacie a fome de paz e reconforto, mas a voz do Mestre, no monte, continua ressoando, inesquecível:
- Que tendes?
Infinita é a Bondade de Deus, todavia, algo deve surgir de nosso "eu", em nosso favor.
Em qualquer terreno de nossas realizações para a vida mais alta, apresentemos a Jesus algumas reduzidas migalhas de esforço próprio e estejamos convictos de que o Senhor fará o resto.

Emmanuel
Do livro Fonte Viva, Psicografia de Francisco Cândido Xavier

O Texto de Emmanuel nos faz refletir sobre como podemos multiplicar as coisas boas em nós. Cristo multiplicou os pães, mas precisou de um ponto de partida. Assim são as boas coisas em nós, se tivermos uma migalha que seja em nossos corações, já é suficiente para o Senhor nos abençoar e nos auxiliar.

O Psicólogo Rossandro Klinjey fala sobre esse texto no vídeo abaixo onde ele fala dos desertos que precisamos suportar em nossa vida. Vale a pena conferir!

25 de maio 2017

Por vezes, diante das adversidades da vida, nós acabamos desanimando, ficamos com a sensação que não há mais nada a fazer, nos julgamos injustiçados ou não entendemos porque certas circunstâncias acabam se apresentando em nossa jornada.
Não raro, em situações como essas, nos questionamos: Ora, se tudo é para o bem de nosso Espírito e para nossa evolução, porque não conseguimos aceitar as dificuldades que nos causam sofrimento?
A Doutrina dos Espíritos nos auxilia nessa aceitação. A partir do momento que aceitamos que somos todos criados simples e ignorantes e que é por meio das encarnações que nós vamos nos depurando e nos aperfeiçoando, passamos a enxergar as dificuldades momentâneas como preciosos recursos que nos levarão a perfeição.
Emmanuel, através da psicografia de Francisco Cândido Xavier, no livro Fonte Viva, nos traz essa linda reflexão:
NÃO TE CANSES
“Não nos desanimemos de fazer o bem, pois, a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos.” Paulo (Gálatas, 6:9).
Quando o buril começou a ferir o bloco de mármore embrutecido, a pedra, em desespero, clamou contra o próprio destino, mas depois, ao se perceber admirada, encarnando uma das mais belas concepções artísticas do mundo, louvou o cinzel que a dilacerara.
A lagarta arrastava¬-se com extrema dificuldade, e, vendo as flores tocadas de beleza e perfume, revoltava¬-se contra o corpo disforme; contudo, um dia, a massa viscosa em que se amargurava converteu¬-se nas asas de graciosa e ágil borboleta e, então, enalteceu o feio corpo com que a Natureza lhe preparara o voo feliz.
O ferro rubro colocado na bigorna, espantou-¬se sofreu, inconformado; todavia, quando se viu desempenhando importantes funções nas máquinas do progresso, sorriu reconhecidamente para o fogo que, o purificara e engrandecera.
A semente lançada à cova escura chorou, atormentada, e indagou por que motivo era confiada assim, ao extremo abandono; entretanto, em sei, vendo transformada em arbusto, avançou para o Sol e fez-¬se árvore respeitada e generosa, abençoando a terra que a isolara no seu seio.
Não te canses de fazer o bem.
Quem hoje te não compreende a boa ¬vontade amanhã te louvará o devotamento e o esforço. Jamais te desesperes, e auxilia sempre.
A perseverança é a base da vitória. Não olvides que ceifarás, mais tarde, em tua lavoura de amor e luz, mas só alcançarás a divina colheita se caminhares para diante, entre o suor e a confiança, sem nunca desfaleceres.

20 de março 2017

Como se dá o progresso da humanidade? Podemos progredir em todos os aspectos em uma mesma existência? Um dia viveremos em um estado de paz e harmonia?
Essas questões podem ser respondidas pela Doutrina Espírita. O Livro dos Espíritos, em sua terceira parte, no capítulo VIII nos apresenta a Lei do Progresso, e ao estuda-la percebemos que somos viajantes do tempo, que o progresso é permanente e nenhum esforço fica perdido no espaço.
Marcha do Progresso
A lei do progresso é inexorável, pois o homem não pode permanecer sempre na ignorância. Nem todos os homens progridem da mesma forma e ao mesmo tempo, então os mais avançados ajudam o progresso dos outros por meio do contato social.
Há duas espécies de progresso: o Moral e o Intelectual. Eles se prestam mutuo apoio, porém não andam lado a lado.
O Progresso intelectual se processa sempre, não enfrenta obstáculos e pode contribuir para engendrar (formar) o progresso moral a partir do ponto que com nossa inteligência, desenvolvemos o livre arbítrio e passamos a distingui o bem do mal.
O progresso por sua vez, precisa evoluir muito para atingir o mesmo patamar atual do progresso intelectual. Ele enfrente dois obstáculos: o orgulho e o egoísmo. “(...) o orgulho e o egoísmo assim como todas as demais imperfeições capazes de retardar a marcha evolutiva da humanidade, chegarão um dia ao seu término. Deus reserva ao ser humano um venturoso estado de plenitude espiritual” (do Livro O Céu e o Inferno).
O Progresso, tanto moral quanto intelectual é cumulativo, por esta razão, podemos dizer que o atual progresso alcançado representa um esforço evolutivo de milênios.
O Progresso se dá tanto no plano físico quanto na erraticidade, pois há conhecimentos que só no plano espiritual pode ser adquirido, mas só aqui na Terra podem ser testados. Por isso a encarnação e seus intervalos são tão importantes para o progresso do espírito.
No futuro os povos se harmonizarão, mas não integrarão uma mesma nação em razão da diversidade de climas, que ocasionam as diversidades de costume e de necessidades, que vão requerer leis mais apropriadas.
Mas a caridade não conhece diferenças geográficas nem de raças. Quando a Lei de Deus for, por toda a parte, a base da lei humana, os povos praticarão a caridade de um para o outro, como de homem para homem. Assim eles viverão felizes e em paz.

O Progresso da Legislação Humana
Se o homem compreendesse bem as leis naturais e tivesse vontade de praticá-las, não haveria necessidade das leis humanas.
Mas em razão de nosso estado de atraso moral, ainda precisamos de leis mais específicas para atender as nossas exigências. As leis humanas são instáveis em razão da falta de compreensão da verdadeira justiça por parte do homem. Elas adquirirão estabilidade a partir do ponto que se aproximarem da verdadeira justiça, ou seja, quando forem feitas para todos e se identificarem com a lei Natural.
Nada Melhor que a Educação para reformar os homens

Influência do Espiritismo no Progresso
A crença no Espiritismo ajuda o homem a se melhorar, firmando-lhe as idéias sobre certos pontos do futuro. Apressa o adiantamento dos indivíduos e das massas, porque faculta nos inteiremos do que seremos um dia. É um ponto de apoio, uma luz que nos guia. O Espiritismo ensina o homem a suportar as provas com paciência e resignação; afasta-o dos atos que possam retardar-lhe a felicidade, mas ninguém diz que, sem ele, não possa ela ser conseguida. (Nota da Questão 982 de O Livro dos Espíritos).
O Espiritismo se tornará uma crença popular e marcará uma nova era na história da humanidade, porque está na natureza e é chegado o tempo em que deve tomar lugar entre os conhecimentos humanos.
Ele contribui com o progresso, uma vez que destrói o materialismo, que é uma chaga da sociedade. Ele faz com que o homem compreenda onde está seu verdadeiro interesse. Ele ensina os homens a grande solidariedade que deve uni-los como irmãos.
Essa transformação se dará de forma gradual, pouco a pouco. A cada geração, uma parte do véu se dissipa e o Espiritismo veio rasgá-lo completamente.
O Espiritismo não se vale de milagres para acelerar o progresso e aceitação da doutrina, visto que nem o Cristo conseguiu convencer a todos por meio deles. Não é por milagre ou prodígio que Deus quer reconduzir os homens em sua bondade, mas sim, quer deixar-lhes o mérito de se convencerem pela razão.

Trechos extraídos de O Livro dos Espíritos, questões 776 a 802.

22 de fevereiro 2017

"Vós, também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual." - Pedro. (I PEDRO, 2:5.)
Cada homem é uma casa espiritual que deve estar, por deliberação e esforço do morador, em contínua modificação para melhor.
Valendo-nos do símbolo, recordamos que existem casas ao abandono, caminhando para a ruína, e outras que se revelam sufocadas pela hera entrelaçada ou transformadas em redutos de seres traiçoeiros e venenosos da sombra; aparecem, de quando em quando, edificações relaxadas, cujos inquilinos jamais se animam a remover o lixo desprezível e observam-se as moradias fantasiosas, que ostentam fachada soberba com indisfarçável desorganização interior, tanto quanto as que se encontram penhoradas por hipotecas de grande vulto, sendo justo acrescentar que são raras as residências completamente livres, em constante renovação para melhor.
O aprendiz do Evangelho precisa, pois, refletir nas palavras de Simão Pedro, porque a lição de Jesus não deve ser tomada apenas como carícia embaladora e, sim, por material de construção e reconstrução da reforma integral da casa íntima.
Muita vez, é imprescindível que os alicerces de nosso santuário interior sejam abalados e renovados. Cristo não é somente uma figuração filosófica ou religiosa nos altiplanos do pensamento universal. É também o restaurador da casa espiritual dos homens.
O cristão sem reforma interna dispõe apenas das plantas do serviço. O discípulo sincero, porém, é o trabalhador devotado que atinge a luz do Senhor, não em benefício de Jesus, mas, sobretudo, em favor de si mesmo.

EMMANUEL. Do livro Vinha de Luz, psicografia de Francisco Cândido Xavier.

Santo Agostinho, na questão 919 A de O Livro dos Espíritos, nos ensina como identificar o que precisamos mudar em nós mesmos. Confira o trecho no vídeo abaixo:

24 de janeiro 2017

A Sabedoria da Vida situou o Natal de Jesus frente do Ano Novo, na memória da Humanidade, como que renovando as oportunidades do amor fraterno, diante dos nossos compromissos com o Tempo.
Projetam-se anualmente, sobre a Terra os mesmos raios excelsos da Estrela de Belém, clareando a estrada dos corações na esteira dos dias incessantes, convocando-nos a alma, em silêncio, à ascensão de todos os recursos para o bem supremo.
A recordação do Mestre desperta novas vibrações no sentimento da Cristandade.
Não mais o estábulo simples, mas nosso próprio espírito, em cujo íntimo o Senhor deseja fazer mais luz...
Santas alegrias nos procuram a alma, em todos os campos do idealismo evangélico.
Natural o tom festivo das nossas manifestações de confiança renovada, entretanto, não podemos olvidar o trabalho renovador a que o Natal nos convida, cada ano, não obstante o pessimismo cristalizado de muitos companheiros, que desistiram temporariamente da comunhão fraternal.
E o ensejo de novas relações, acordando raciocínios enregelados com as notas harmoniosas do amor que o Mestre nos legou.
E a oportunidade de curar as nossas próprias fraquezas retificando atitudes menos felizes, ou de esquecer as faltas alheias para conosco, restabelecendo os elos da harmonia quebrada entre nós e os demais, em obediência à lição da desculpa espontânea, quantas vezes se fizerem necessárias.
É o passo definitivo para a descoberta de novas sementeiras de serviço edificante, através da visita aos irmãos mais sofredores do que nós mesmos e da aproximação com aqueles que se mostram inclinados à cooperação no progresso, a fim de praticarmos, mais intensivamente, o princípio do “amemo-nos uns aos outros”.
- Conforme a nossa atitude espiritual ante o Natal, assim aparece o Ano Novo à nossa vida.
- O aniversário de Jesus precede o natalício do Tempo.
- Com o Mestre, recebemos o Dia do Amor e da Concórdia.
- Com o tempo, encontramos o Dia da Fraternidade Universal.
- O primeiro renova a alegria.
- O segundo reforma a responsabilidade.

Comecemos oferecendo a Ele cinco minutos de pensamento e atividade e, a breve espaço, nosso espírito se achará convertido em altar vivo de sua infinita boa vontade para com as criaturas, nas bases da Sabedoria e do Amor.
Não nos esqueçamos.
Se Jesus não nascer e crescer, na manjedoura de nossa alma, em vão os Anos Novos se abrirão iluminados para nós.

EMMANUEL
Do livro Fonte de Paz, psicografia de Francisco Cândido Xavier.

Divaldo Franco nos fala sobre o significado do Natal e apresenta uma Mensagem de Joana De Angelis no vídeo abaixo:

13 de dezembro 2016

No dia 29/11/2016 a nossa amada Chapecó foi acordada com a triste e inacreditável notícia de que nossos amigos, que com tanta alegria saíram em busca de um sonho, não mais retornariam para casa.
O Nosso Lar, ainda consternado com a notícia, busca nos fundamentos da Doutrina que professamos, uma forma de ajudar no acolhimento e consolo dos que ficaram.
Manifestamos aqui nosso mais profundo sentimento para com todos: vítimas, familiares, amigos, enfim, toda a Cidade de Chapecó, que chora por seus filhos.
Certos de que a vida continua, não dizemos um adeus, mas sim:
ATÉ BREVE, QUERIDOS AMIGOS!
Para refletirmos sobre essa questão ainda tão dolorosa, trazemos um belíssimo texto de Santo Agostinho:
A morte Não é Nada!

A morte não é nada.
Eu somente passei para o outro lado do Caminho.
Eu sou eu, vocês são vocês.
O que eu era para vocês, eu continuarei sendo.
Deem-me o nome que vocês sempre me deram,
Falem comigo como vocês sempre fizeram.
Vocês continuam vivendo no mundo das criaturas,
Eu estou vivendo no mundo do Criador.
Não utilizem um tom solene ou triste,
Continuem a rir daquilo que nos fazia rir juntos.
Rezem, sorriam, pensem em mim.
Rezem por mim.
Que meu nome seja pronunciado como sempre foi,
Sem ênfase de nenhum tipo.
Sem nenhum traço de sombra ou tristeza.
A vida significa tudo o que ela sempre significou. O fio não foi cortado.
Porque eu estaria fora de seus pensamentos, agora que estou apenas fora de suas vistas?
Eu não estou longe, apenas estou do outro lado do Caminho...
Você que aí ficou, siga em frente, a vida continua, linda e bela como sempre foi.
(Santo Agostinho)

Sobre esse tema a expositora Suely Caldas Schubert nos fala com muita propriedade no vídeo abaixo.
Esperamos que o material que aqui disponibilizamos possa de alguma forma trazer alento para os que hoje choram a partida de seus familiares.

Abraços Fraternos!

02 de dezembro 2016

Obediência, Resignação e Resiliência


Em nossa vida, passamos por imensas turbulências das mais diversas ordens e diante disso é natural que experimentemos o desespero e a sensação de que não conseguiremos ter forças para suportar tal situação. Mas, ao estudarmos os ensinamentos de Jesus, e a medida que compreendemos os postulados da Doutrina Espírita, conseguimos acalmar nossos corações, vislumbrar as razões para todas as vicissitudes que a vida nos apresenta e principalmente, conseguimos lidar melhor com nossos sentimentos e consequentemente teremos paz em nossos corações.
A Obediência e a Resignação são virtudes que nos ajudam a melhorar a nossa relação com a vida. No capítulo IX de Evangelho Segundo o Espiritismo, O espírito Lázaro nos traz essa bela lição:
“A doutrina de Jesus ensina, em todos os seus pontos, a obediência e a resignação, duas virtudes companheiras da doçura e muito ativas, se bem os homens erradamente as confundam com a negação do sentimento e da vontade. A obediência é o consentimento da razão; a resignação é o consentimento do coração, forças ativas ambas, porquanto carregam o fardo das provações que a revolta insensata deixa cair. O pusilânime não pode ser resignado, do mesmo modo que o orgulhoso e o egoísta não podem ser obedientes. Jesus foi a encarnação dessas virtudes que a antiguidade material desprezava. Ele veio no momento em que a sociedade romana perecia nos desfalecimentos da corrupção. Veio fazer que, no seio da Humanidade deprimida, brilhassem os triunfos do sacrifício e da renúncia carnal.
Cada época é marcada, assim, com o cunho da virtude ou do vício que a tem de salvar ou perder. A virtude da vossa geração é a atividade intelectual; seu vício é a indiferença moral. Digo, apenas, atividade, porque o gênio se eleva de repente e descobre, por si só, horizontes que a multidão somente mais tarde verá, enquanto a atividade é a reunião dos esforços de todos para atingir um fim menos brilhante, mas que prova a elevação intelectual de uma época. Submetei-vos à impulsão que vimos dar aos vossos espíritos; obedecei à grande lei do progresso, que é a palavra da vossa geração. Ai do espírito preguiçoso, ai daquele que cerra o seu entendimento! Ai dele! porquanto nós, que somos os guias da Humanidade em marcha, lhe aplicaremos o látego e lhe submeteremos a vontade rebelde, por meio da dupla ação do freio e da espora. Toda resistência orgulhosa terá de, cedo ou tarde, ser vencida. Bem-aventurados, no entanto, os que são brandos, pois prestarão dócil ouvido aos ensinos. Lázaro (Paris, 1863).


A Resiliência por sua vez, significa voltar ao estado normal, e é um termo oriundo do latim resiliens. Resiliência possui diversos significados para a área da psicologia, administração, ecologia e física. Resiliência é a capacidade de voltar ao seu estado natural, principalmente após alguma situação crítica e fora do comum.
Na área da psicologia, a resiliência é a capacidade de uma pessoa lidar com seus próprios problemas, vencer obstáculos e não ceder à pressão seja qual for a situação. A teoria diz que resiliência é a possibilidade do indivíduo de tomar uma decisão quando tem a chance de tomar uma atitude que é correta, e ao mesmo tempo tem medo do que isso possa ocasionar. A resiliência demonstra se uma pessoa sabe ou não funcionar bem sob pressão. (Definição extraída de https://www.significados.com.br/resiliencia/).
No Espiritismo podemos trazer conceito de resiliência para definir aqueles que conseguem lidar com as adversidades de uma maneira mais fácil, superando-as e, sobretudo prosseguindo na jornada sempre com a certeza de que tudo tem uma razão de ser. Jesus nos ensinou que: Tendo fé, o fardo fica mais leve e o jugo mais suave.
Sobre esse tema, a Expositora Sandra Borba nos traz significativas elucidações, que podem ser conferidas no vídeo baixo:

03 de novembro de 2016

Educação para a morte

A educação para a morte não é nenhuma forma de preparação religiosa para a conquista do Céu. É um processo educacional que tende a ajustar os educandos à realidade da Vida, que não consiste apenas no viver, mas também no existir e no transcender. (...)
A Educação para a Morte é, portanto, a preparação do homem durante a sua existência, para a libertação do seu condicionamento humano. Libertando-se desse condicionamento, o homem se reintegra na sua natureza espiritual, torna-se Espírito, na plenitude de sua essência divina.
J. Herculano Pires

Esse tema é abordado de forma elucidativa no vídeo abaixo:

25 de outubro de 2016

Sede perfeitos

No Capítulo XVII de O Evangelho Segundo o Espiritismo, Kardec nos apresenta o tema: Sede Perfeitos, mas é possível sermos perfeitos ainda nessa vida?

Jesus nos diz:
“Amai os vossos inimigos; fazei o bem aos que vos odeiam e orai pelos que vos perseguem e caluniam. Porque, se somente amardes os que vos amam, que recompensa tereis disso? Não fazem assim também os publicanos? Se unicamente saudardes os vossos irmãos, que fazeis com isso mais do que outros? Não fazem o mesmo os pagãos? Sede, pois, vós outros, perfeitos, como perfeito é o vosso Pai celestial”. (Mateus, 5: 44, 46 a 48.)
Considerando que Deus é a perfeição absoluta, sabemos que jamais atingiremos este grau, porém usou Deus como um modelo para que os homens da época pudessem entender.
Estas palavras nos apresentam a perfeição relativa a qual a humanidade está suscetível. “a de que a Humanidade é suscetível e que mais a aproxima da Divindade. Em que consiste essa perfeição? Jesus o diz: “Em amarmos os nossos inimigos, em fazermos o bem aos que nos odeiam, em orarmos pelos que nos perseguem.” Mostra Ele desse modo que a essência da perfeição é a caridade na sua mais ampla acepção, porque implica a prática de todas as outras virtudes”.
Se observarmos os resultados dos vícios e dos pequenos defeitos, veremos que todos acabam por alterar o sentimento da caridade, pois estão presentes o orgulho e o egoísmo, que são a negação da caridade. Tudo que superexcita o sentimento da personalidade acaba por destruir ou pelo menos enfraquecer os elementos da verdadeira caridade. E Quais são esses elementos? A benevolência, a indulgência, a abnegação e o devotamento.
“Não podendo o amor do próximo, levado até o amor dos inimigos, aliar-se a nenhum defeito contrário à caridade, aquele amor é sempre, portanto, indício de maior ou menor superioridade moral, donde decorre que o grau da perfeição está na razão direta da sua extensão”. Foi por isso que Jesus, depois de haver dado a seus discípulos as regras da caridade, no que tem de mais sublime, lhes disse: “Sede perfeitos, como perfeito é vosso Pai celestial.” ESE Cap. XVII, Item 01.
Em suma: quanto mais conseguirmos amar ao nosso próximo, maior será o nosso grau de perfeição moral.
Para aprofundar esse tema, assista ao vídeo abaixo, onde o Sr. Geraldo Campetti nos traz excelentes reflexões:

30 de setembro de 2016

Suicído, precisamos falar sobre isso

Setembro Amarelo, uma ação mundial de prevenção.
O Setembro Amarelo é um movimento mundial realizado há alguns anos e estimulado por entidades médicas e pelo IASP (Associação Internacional para Prevenção do Suicídio). Com uma ideia simples como o Outubro Rosa e o Novembro Azul, que visam, respectivamente, sensibilizar a população sobre os riscos do câncer de mama e das doenças masculinas, o Setembro Amarelo pretende iluminar grandes símbolos das principais cidades e incentivar ações que levem o amarelo e chamem a atenção da sociedade para a questão do suicídio como um problema de saúde pública que deve ter a atenção de todos e pode ser evitado.
André Trigueiro Viver é a Melhor Opção, Florianópolis 31/05/15

23 de agosto de 2016

O que é o espiritismo

Publicado em 15 de dez de 2014
Vídeo feito para conclusão do ciclo 1 do curso Básico de espiritismo, realizado no centro Joana de Ângelis.

20 de julho de 2016

Kardec e o Espírito da Verdade

Publicado em 5 de fev de 2016

O Espírito da Verdade e Allan Kardec.. Por; Haroldo Dutra Dias..Haroldo Dutra Dias (20 de setembro de 1971 em Belo Horizonte) é um juiz de direito do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, escritor, tradutor, professor e conferencista brasileiro. É bacharel em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), diretor do juizado especial da Comarca de Contagem, formado em língua grega clássica pela UFMG (Língua e Literatura), formado em hebraico pela União Israelita de Belo Horizonte. Também é especialista em paleontografia, crítica textual, aramaico e francês. Dias também vem se destacando como um ativo divulgador do Espiritismo, sendo autor e conferencista na área. É autor de uma tradução do Novo Testamento para o português, editada originalmente pelo Conselho Espírita Internacional em 2010. A tradução também é editada pela Federação Espírita Brasileira, organização a qual Dias cedeu os direitos autorais e patrimoniais da obra.

20 de julho de 2016

Tupo Passa

Chico Xavier
Publicado em 22 de nov de 2013
"Tudo Passa" Mensagem de Chico Xavier, com a voz de Renato Pietro.

Oração Nossa!

Chico Xavier
Enviado em 1 de mar de 2011
ORAÇÃO NOSSA COM NARRAÇÃO DE CHICO XAVIER INÉDITO AGRADECIMENTO

"Cabe-nos não Dasanimar"

Bezerra de Menezes
Cabe-nos não desanimar, prosseguir com o espírito voltado para o bem, de tal forma, que as paixões primitivas cedam lugar às peregrinas virtudes descendentes do amor. Desesperada, a criatura humana suplica misericórdia, e os céus generosos fazem chover sobre a terra as messes de misericórdia e de encorajamento para a vida. Não vos deixeis contaminar pelos desequilíbrios que grassam, pelo vírus do horror, que leva a vida aos patamares mais sofridos. Erguei-vos em pensamento e em ação Àquele que nos prometeu estar conosco em qualquer circunstância para que pudéssemos ter vida e vida em abundância. Filhos da alma, vossos guias espirituais adejam ao vosso lado como aves sublimes de ternura, aguardando a oportunidade de manter convosco intercâmbio iluminativo. Não vos permitais o luxo da negativa às suas inspirações gloriosas. Não recalcitreis ante o espinho cravado nas carnes da alma de que necessitais momentaneamente. Desde quando conhecestes Jesus, tendes o dever de demonstrar-lhe fidelidade e amor, basta-vos abrir os sentimentos de fraternidade e de misericórdia para com todos aqueles que sofrem, perdoando-vos os equívocos e perdoando as agressões que vos chegam ameaçadoras. Ninguém a sós, em nome desses espíritos espíritas, que comparecem a este evento há cinquenta e nove anos sucessivamente. Nós vos conclamamos à diretriz de segurança para uma existência de paz. Amar! Sede vós aqueles que amam. Rejeitados, menosprezados e até perseguidos, aureolai-vos no amor para que se exteriorizem os sentimentos sublimes do Cordeiro de Deus e em breve possamos ver bebendo no mesmo córrego, o lobo e o cordeiro, os bons e os ainda maus, fascinados pela água pura do Evangelho libertador. Ide em paz, meus filhos, retornai aos vossos lares e buscai a luz da verdade que dissipa a ignorância e que anula a treva. Jesus conta convosco na razão direta em que com Ele contamos.
Abençoe-nos o incomparável amigo Jesus e dê-nos a sua bênção de paz.

Com muito carinho, o servidor humílimo e paternal de sempre, Bezerra.
Muita paz!

Prece de Cáritas

DEUS, nosso Pai, que sois todo poder e bondade, dai forca àquele que passa pela provação; dai luz àquele que procura a verdade, pondo no coração do homem a compaixão e a caridade. Deus, dai ao viajor a estrela guia; ao aflito a consolação; ao doente o repouso. Pai, dai ao culpado o arrependimento, ao espírito a verdade, a criança o guia, ao órfão o pai. Senhor, que a vossa bondade se estenda sobre tudo que Criastes. Piedade Senhor, para aqueles que não vos conhecem, esperança para aqueles que sofrem. Que a Vossa bondade permita aos espíritos consoladores derramarem por toda parte a paz, a esperança e a fé. Deus, um raio, uma faísca do Vosso amor pode abrasar a terra. Deixa-nos beber nas fontes dessa bondade fecunda e infinita e todas as lágrimas secarão, todas as dores acalmar-se-ão. Um só coração, um só pensamento subirá até Vós como um grito de reconhecimento e amor. Como Moisés sobre a montanha, nos Vós esperamos com os braços abertos, oh! Poder... oh! Bondade... oh! Beleza... oh! Perfeição, e queremos de alguma sorte alcançar a Vossa misericórdia. Deus, dai-nos a força de ajudar o progresso a fim de subirmos até Vós. Dai-nos a caridade pura; dai-nos a fé e a razão; dai-nos a simplicidade que fará de nossas almas, o espelho onde deve refletir a Vossa Santa e Misericordiosa imagem.

* * *
Mme. W. Krill.
Ditado pelo Espírito Cáritas.
25 de dezembro de 1873.